A juventude não foi feita para o prazer, mas sim para o heroísmo!

domingo, 18 de março de 2012

9º Acampamento da Ação Jovem em prol da Juventude!


Espírito Épico
“A busca do heroísmo em defesa do maravilhoso”

Assim o definiu o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira o espírito épico, que por sua vez foi o leitmotiv do 9º Acampamento da Ação Jovem pela Terra de Santa Cruz em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, entre os dias 17 e 21 de fevereiro, contando com 64 participantes. Eles eram provenientes dos estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Goiás, Ceará e do Distrito Federal. 

Entretanto, pensar hoje que é possível que mais de 60 jovens se reúnam durante cincos dias para uma semana de estudos, oração e lazer, parece ser inconcebível, mais ainda em dias que sucedem o carnaval!

Porém, isto é possível graças aos movimentos como Instituto Plinio Corrêa de Oliveira e a Associação Devota de Fátima que têm se preocupado com a formação moral e intelectual de nossa juventude brasileira. 



As reuniões ocorriam sempre na parte da manhã, totalizando oito, sendo todas baseadas em exposições dadas pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira sobre o espírito épico que reinou na Cristandade, no qual explica seu significado: “Ter espírito épico é, antes de tudo, ter grande admiração por algo verdadeiramente admirável, e, simultaneamente, a disposição de correr todos os riscos e fazer todos os sacrifícios, abnegadamente, em prol daquilo que admira: a causa, a doutrina, o princípio. Em nosso caso concreto, a causa da civilização cristã”.   

Muitos foram os exemplos dados nas conferências de heróis que ao longo da história souberam defender esses ideais ao modo de passarem a ser modelos para juventude futura. Logo após as exposições, eram realizadas sabatinas aos jovens, nas quais se testava seu aprendizado.






No período vespertino praticavam-se jogos sendo eles: Medievais (mão de ferro, jogo do escudo e corrida com obstáculos), jogo da biruta, paint ball, xadrez e outros jogos de mesa. Já à noite era voltada para as projeções de audiovisuais sobre as Cruzadas e sobre a caravana Cruzada pela Família promovida pelo Instituto em janeiro último, além de algumas peças teatrais.



Sabendo que o fundamento da vida apostólica é a vida interior, não podiam faltar práticas de piedade: assistência à Santa Missa, imposição do Escapulário do Carmo, terço diário, recitação tanto do Ofício de Nossa Senhora como da Via Sacra e uma vigília de orações. Após o jantar, eram muito animadas as conversas em torno de uma fogueira.


No último dia houve churrasco no almoço e um solene jantar medieval em que todos os participantes foram presenteados com um medalhão em relevo do Imperador Carlos Magno como lembranças. Logo após todos presenciaram a tradicional queima de fogos de artícifios.
Todos saíram da semana de estudos convictos da necessidade de se engajar na luta contra-revolucionária em defesa da civilização cristã respaldado pelo espírito épico e voltar no próximo ano trazendo outros novos amigos.



Depoimentos de alguns participantes
  


Luís Estevão Cerqueira (Brasília-DF): “Numa reunião falou-se sobre os obstáculos ao espírito épico (preguiça, egocentrismo, banalização do maravilhoso) e como combatê-los: imitação de Nosso Senhor, empreender uma batalha contra nós mesmos e ter sempre em mente as convicções doutrinárias. Foi a que mais me chamou a atenção”.




Gabriel Garcia Mazatti (Maringá-PR): “O que mais gostei foram os jogos medievais à noite, iluminados com tochas. Lembrava bem a época dos senhores feudais, o clima estava bem real. Também gostei das palestras, pois não viemos apenas para um simples acampamento, mas desejosos de adquirir o espírito épico na busca de Deus”.




Allysson Vidal Vasconcelos (São Paulo-SP): “Gostei muito das reuniões, especialmente a de encerramento que focalizou alguns aspectos da vida de Dr. Plinio e do movimento por ele fundado. Realizou ao longo de sua vida uma verdadeira cruzada. O conferencista convidou-nos a sermos também nós verdadeiros cruzados, unindo-nos a este ideal”.



Hugo Gonçalves dos Santos (Campos-RJ): “Para mim esses dias de estudos seriam os de um acampamento como outros que participei, mas achei muito melhor. Gostei bastante dos jogos e das reuniões, que me fizeram entender melhor a Religião católica e o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira. Fiz vários amigos de diferentes regiões do Brasil e, sem dúvida, vou estar aqui no ano que vem”.


Lucas Gonçalves de Freitas (Curitiba-PR): “Gostei muito de tudo, especialmente das reuniões e dos jogos. A reunião que mais me interessou foi a que falou sobre os castigos previstos por Nossa Senhora em Fátima, se o mundo não se converter. Também gostei muito do ambiente do jantar medieval”.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos lutar pela Vida desde a fecundação até a morte natural!